Soli Deo Gloria: A vida centrada em Deus

2017 – 500 anos da Reforma Protestante

A Reforma Protestante foi um movimento reformista ocorrido no seio da igreja cristã no século XVI, iniciado por Martinho Lutero, em 1517.

Para celebrarmos os 500 anos deste movimento, acho importante começar pelos 5 pontos basilares desenvolvidos pelos reformadores, os chamados cinco solasSola Scriptura (Somente as Escrituras),  Solus Christus (Somente Cristo), Sola Gratia (Somente a Graça), Sola Fide (Somente a Fé) e Soli Deo Gloria (Somente a Deus, Glória).

Para o estudo e maior compreensão destes pontos, recorri às excelentes palestras do Professor e Pastor Franklin Ferreira, disponibilizadas no You Tube.

Neste POST, quero destacar o estudo Soli Deo Gloria: A vida centrada em Deus, desenvolvido através da Palestra proferida pelo referido Pastor e publicada no You Tube, em 29/02/2016. In:

  • Os cultos perderam o significado, porque não estão centrados em Deus. Deve ser Deus aquele que nos assiste no culto e não o contrário.

Salmos 24.7-10:

“Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na guerra. Levantai, ó portas, as vossas cabeças, levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos, ele é o Rei da Glória.”

Salmos 115:1-3:

“Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da tua verdade. Porque dirão os gentios: Onde está o seu Deus? Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou.”

  • No Catecismo de Genebra diz que “Deus nos criou e nos colocou na terra para ser glorificado em nós. E, certamente, é correto que dediquemos nossa vida à sua glória, já que Ele é o princípio dela”.

O Deus que os cristãos adoram:

  • se revela nas Escrituras: única fonte de revelação;
  • é o Deus trino, que se revela como Pai, Filho e Espírito Santo: revelação trinitária;
  • é cheio de graça, majestade, santidade e soberania.
  • Deus é o Senhor criador de todas as coisas, o todo-poderoso, que sustenta e governa toda a criação.
  • O Pai perdoa pecadores por meio do sacrifício de seu único Filho na cruz e envia seu Espírito Santo para santificar a igreja.
  • A glória de Deus:
  • majestade e brilho que acompanham a revelação da Palavra e do poder de Deus;
  • refere-se à suprema beleza do Deus trino.
  • Por que Deus busca a Sua glória? Porque Deus é Deus. Há um único Deus e tudo redunda em Sua glória (Ef 1.12-14) e Jo 17.1-5 Cada pessoa que compõe a Trindade busca a glória do outro.

Efésios 1.12-14:

“Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo; Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória.”

Joao 17.1-5:

“Jesus falou assim e, levantando seus olhos ao céu, e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti; Assim como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer. E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse.”

  • A glória de Deus: tema central da Sua Palavra. Tudo foi criado para louvor de Sua glória.
  • O Senhor Deus confundiu as pretensões idolátricas e religiosas na torre de Babel – para sua glória;
  • Deus se manteve fiel à aliança – para sua glória;
  • O povo da aliança foi sustentando durante a escravidão no Egito durante 400 anos para – sua glória;
  • Com braço forte, com sinais e prodígios, o povo foi retirado do Egito – para sua glória…

Isaias 45:

“Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que tu não me conheças; Para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que fora de mim não há outro; eu sou o Senhor, e não há outro. Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas.” (versos 5-7)

“Eu fiz a terra, e criei nela o homem; eu o fiz; as minhas mãos estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas ordens.” (verso 12)

“Verdadeiramente tu és o Deus que te ocultas, o Deus de Israel, o Salvador. Envergonhar-se-ão, e também se confundirão todos; cairão juntamente na afronta os que fabricam imagens. Porém Israel é salvo pelo Senhor, com uma eterna salvação; por isso não sereis envergonhados nem confundidos em toda a eternidade. Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o Senhor e não há outro.” (versos 15-18)

“ Por mim mesmo tenho jurado, já saiu da minha boca a palavra de justiça, e não tornará atrás; que diante de mim se dobrará todo o joelho, e por mim jurará toda a língua. De mim se dirá: Deveras no Senhor há justiça e força; até ele virão, mas serão envergonhados todos os que se indignarem contra ele. Mas no Senhor será justificada, e se gloriará toda a descendência de Israel. (versos 23-25)

  • Tudo que o Filho fez: desde a encarnação até seu retorno à Terra – para a glória de Deus

Apocalipse 19:

“E, depois destas coisas ouvi no céu uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! A salvação, e a glória, e a honra, e o poder pertencem ao Senhor nosso Deus; Porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua fornicação, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos. E outra vez disseram: Aleluia! E a fumaça dela sobe para todo o sempre. E os vinte e quatro anciãos, e os quatro animais, prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, dizendo: Amém. Aleluia! E saiu uma voz do trono, que dizia: Louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes. E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina. Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos. E disse-me: Escreve: Bemaventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.” (versos 1-9)

“E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. E estava vestido de veste tingida em sangue; e o nome pelo qual se chama é A Palavra de Deus. E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.” (versos 11-16)

  • Somos salvos para dar glória a Deus. E quando vivemos para a glória de Deus estamos imitando o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
  • Alegria, prazer e contentamento: experiências que os salvos que vivem para a glória de Deus, podem ter na presença de Deus:

Romanos 8:

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (verso 28)

“Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (versos 37-39)

1Crônicas 29.10-14:

“Por isso Davi louvou ao Senhor na presença de toda a congregação; e disse Davi: Bendito és tu, Senhor Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade. Tua é, Senhor, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, Senhor, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos.  E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo. Agora, pois, ó Deus nosso, graças te damos, e louvamos o nome da tua glória. Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.”

 

Conclusão

“Reafirmamos que, como a salvação é de Deus e realizada por Deus, ela é para a glória de Deus e devemos glorificá-lo sempre. Devemos viver nossa vida inteira perante a face de Deus, sob a autoridade de Deus, e para sua glória somente.

Negamos que possamos apropriadamente glorificar a Deus se nosso culto for confundido com entretenimento, se negligenciarmos ou a Lei ou o Evangelho em nossa pregação, ou se permitirmos que o afeiçoamento próprio, a auto-estima e a auto-realização se tornem opções alternativas ao evangelho.” (A Declaração de Cambridge, Tese 5)

Esta entrada foi publicada em Teologia e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.