A Igreja Universal do Reino de Deus e seus sincretismos

Como estudante de Teologia estou procurando entender mais sobre o quadro do Pentecostalismo e Neopentecostalismo brasileiros, e, por isso, resolvi fazer uma breve análise de uma destas vertentes: a Igreja Universal do Reino de Deus.
Ao fazer isto, deparei com algumas questões como: a Igreja Universal do Reino de Deus é uma igreja que se enquadra nos padrões do pentecostalismo ou neopentecostalismo? Como se deu seu crescimento, fenômeno que ultrapassou as esferas brasileiras? O que têm de similares entre suas práticas e as de outros grupos ditos protestantes, evangélicos ou pentecostais?
Sobre estas e outras questões procurei fazer algumas considerações neste breve trabalho, nos três capítulos que seguem:
No primeiro capítulo, fizemos um breve histórico da origem da Igreja Universal (IURD), de sua fundação, em 1977, até o momento. No segundo, falamos um pouco sobre das propagações de suas práticas, principalmente através dos meios de comunicação, e por último, fizemos uma breve análise de suas práticas doutrinárias à luz dos pilares da Reforma e de opiniões de teólogos reformados…

1. Igreja Universal: um breve histórico

A Igreja Universal do Reino de Deus é a principal representante do Neopentecostalismo [1] brasileiro, segundo opinião de sociólogos, especialistas do assunto. Foi fundada em 1977, por Edir Macedo e seu cunhado Romildo Ribeiro Soares, depois que ambos se desligaram da Igreja Cristã Nova Vida, no Rio de Janeiro.

A primeira igreja foi fundada no Jardim Méier, depois de Edir Macedo ter realizado as primeiras reuniões num coreto do bairro. Mas, em 1980, seu cunhado Romildo, que passa a ser conhecido como R.R. Soares, separa-se dele e funda a Igreja Internacional da Graça de Deus.

Ao contrário de muitos outros pastores fundadores de igrejas, Edir Macedo chegou a fazer graduação em Matemática, na Universidade Federal Fluminense, e Estatística, na Escola Nacional de Ciências e Estatísticas, embora não tenha concluído estes cursos. Ele afirma ser formado em Teologia.

O viés “teológico” da prosperidade material de Edir Macedo foi herdado, originalmente, de sua ex-Igreja, precursora na pregação da Teologia da Prosperidade no Brasil, cujo fundador, o canadense Walter Robert McAlister “… no constante combate com o diabo, nos ataques às religiões afro-brasileiras e na valorização da prosperidade material” (BARBIER, p. 23), tornou-se o embrião da pregação neopentecostal brasileira, apesar de não se deslanchar. A Igreja Nova Vida, portanto, teve papel fundamental na formação teológico-religiosas de Macedo e de seu cunhado.

O fracasso da Igreja Nova Vida, que visava alcançar principalmente pessoas da classe média, serviu de base para Edir Macedo criar condições para o surgimento da “Terceira Onda” [2], marcada pela Teologia da Prosperidade.

A separação entre Edir Macedo e R.R. Soares, em 1980, se deu, entre outros fatores, por causa da implantação da IURD em Nova Iorque, decisão que contrariou este último. Aliás, “Macedo acreditava que Nova Iorque poderia ser a nova Roma, como na antiguidade” (BARBIER, p. 24).

Depois disto, a IURD adotou um governo eclesiástico episcopal, concedeu o título de bispo ao seu auxiliar e fundador da igreja em São Paulo, Roberto Augusto Lopes, que o retribui consagrando-o também bispo.

Em pouco tempo, a IURD se expande por todo o Brasil e por vários países, como Estados Unidos – neste país houve pouca aceitação –, Portugal, Moçambique, Angola, Argentina e África do Sul, entre outros.

Segundo o Censo Demográfico do IBGE – 2010, o número de adeptos da Igreja Universal era de 2.101.8873. E apesar de ser bem menor em quantidade de membros, se compararmos à Assembleia de Deus, por exemplo, esta igreja tem conseguido muita notoriedade no Brasil, sobretudo por causa da mídia e de suas doutrinas estranhas em relação às (outras) igrejas, como veremos nos capítulos seguintes.

Segundo o IBGE [3] (O.C.), o número total de evangélicos no país, em 2010, era de 26.184.941. Deste total, o número de pentecostais era de 17.617.307, equivalente a 67% do total. A Igreja Universal é destacada pelo IBGE como de origem pentecostal, e com menos de 1% do total dos evangélicos. 

2. Igreja Universal: mídia e construção de templos

A IURD conta com cerca de 2000 templos no Brasil e cerca de cinco cultos diários. Embora, as atividades dos templos sejam acompanhadas por quem os visitam, as campanhas e/ou temas ali abordados são divulgados em rádios, tevês, jornal, sítios da internet etc. e estão disponíveis para conhecimento de todos. Ou seja, estes meios de comunicação são estratégias de divulgação de suas doutrinas e “evangelismo” aos seus moldes.

O uso dos meios de comunicação tem sido a principal característica da IURD, desde sua fundação, e representa a concretização de um sonho e obsessão de Edir Macedo: ser dono da mais importante rede de meios de comunicação do país.

A trajetória da rede de comunicação pode ser resumida assim:
− Nos anos 80, a IURD começou a se apropriar das primeiras rádios para divulgação de suas atividades.
− Em 1989, Macedo comprou a TV Record, com 25 repetidoras em todo o país, veículo que mistura programas religiosos, noticiários e entretenimento como novelas, programas de auditório e reality-shows. Atualmente, a Record é a principal rival da Rede Globo.
− Em 1990, Macedo amplia os tentáculos radiofônicos, contando com uma rede de cerca de 40 emissoras nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Goiás, Minas Gerais e Ceará.
− Em 1999, Edir Macedo efetua a compra da rede UHF TV Mulher, batizada em seguida de TV Família e tinha o objetivo de alcançar áreas não cobertas pela TV aberta – VHF.
− Atualmente, a IURD contabiliza 78 emissoras de rádio (AM e FM) tem uma área de abrangência de 75% no espaço nacional, principalmente, através da Rede Aleluia de Rádio.
− O principal sítio da IURD é a Arca Universal, onde o internauta tem acesso à vasta programação da igreja e do “império” de Edir Macedo; o seu principal instrumento escrito da IURD é a Folha Universal e conta, também, com a Line Records (Record Produções e Gravações).

Em seu estudo sobre o assunto João Victor TORRES e Êmili Adami ROSSETTI destacam:


Se as nossas interpretações realmente estão corretas, poderíamos dizer que a mídia funcionou como um marco na história do (neo)pentecostalismo, já que a indústria cultural (…), o consumo e a fábrica do entretenimento estão diretamente associados e vinculados ao surgimento dessa tecnologia. A mídia é um elemento presente na construção dos hábitos e nos modos de vida. Teria ela a força e o dinamismo para reinventar uma teologia cristã milenar, isto é, o ascetismo? Longe do fatalismo ou da relação de causa e efeito, acrescentamos que, no mínimo, os meios de comunicação participam de forma ativa dessa ruptura teológica. A importância desse tópico está vinculada à reprodutibilidade de um esquema simbólico que em muitos momentos será (re)negociado nas mais diferentes extensões do homem. (TORRES e ROSSETTI, 2013. p. 5)


Voltando aos templos da Igreja Universal. É comum ouvirmos expressões pejorativas em relação à arrecadação de dinheiros por pastores de pequenas igrejas (pentecostais), como, por exemplo, “pequenas igrejas, grandes negócios!”. O mesmo não pode ser dito da Igreja Universal. Para esta, cabe bem a frase: “grandes igrejas, excelentes negócios!”. Alguns analistas econômicos, inclusive, costumam fazer uma associação à máxima de Benjamin Franklin, “tempo é dinheiro”, para “templo é dinheiro[4], ao considerarem o império de Edir Macedo. Os seus templos, além da Rede Record, seus livros e publicações em geral, são canais geradores de riqueza, um verdadeiro negócio – business.

Há uma diversidade de templos-palácios de propriedade da IURD, sendo o mais famoso, inaugurado, recentemente, o Templo de Salomão, construído no bairro do Brás, em São Paulo. Este templo colossal, que merece um capítulo à parte, na verdade, a despeito de Edir Macedo afirmar ser um “sonho” construí-lo, depois de visitar Israel, é uma verdadeira fonte arrecadadora de dinheiro. Lá [5], vendem-se restos de pedras “importadas”, gravadas com o nome da igreja, símbolos do judaísmo, como o quipá (espécie de chapéu redondo usado por judeus etc., além do pagamento de ingresso para visitação do mesmo. Bem, nos diversos templos, onde trabalham seus pastores, muito bem informados do roteiro a ser seguido nas “campanhas”, acontecem as pregações estranhas ao Evangelho, como veremos a seguir.

3. Igreja Universal e suas práticas sincréticas

A Igreja Universal é realmente evangélica e/ou protestante? Ou será, que por ser uma Igreja Neopentecostal, que representa “mudanças” ou novas opções espirituais e/ou religiosas, propõe realizar profundas acomodações à sociedade?

Se estas mudanças são o alvo de Edir Macedo, com certeza, conseguiu seus objetivos. Mudança nos aspectos doutrinários e interpretações diferentes (estranhas) aos ensinamentos bíblicos é o que não faltam. É só dá uma olhadinha no seu leque de programação, no seu sítio, por exemplo, para ver como seus conteúdos e interpretações dos fatos são muito diferentes das demais igrejas. No menu virtual do universal.org, encontramos, por exemplo, no site Arca Universal (O.C.):
− Reunião da Prosperidade: o direcionamento de Deus para as finanças dos seus filhos.
− Sessão do Descarrego: solução para as doenças de ordem espiritual.
− Reunião de Libertação: parecida com a anterior.
− Jejum das Causas Impossíveis: para superação de todos os obstáculos que a vida impõe.
− Noite da Salvação: como proceder para alcançar a Salvação.
− Encontros do Raabe: destinados às mulheres que sofrem abuso doméstico, físico, sexual ou emocional…

Sobre o primeiro item, “reunião da prosperidade”, os seguidores de Edir Macedo precisam atender o principal quesito, que é o pagamento do dízimo:

Se quiser sair da miséria, se quiser conseguir um emprego, (…), deve entregar o dízimo (…). O dízimo não é somente o dinheiro do salário, também da aposentadoria, e da pensão (…) Se não entregar seu dízimo o dinheiro vai desaparecendo porque o demônio devorador entrou. (…) Tirem todas as moedas que vocês têm. Eu não quero tirar dez centavos. Isso não existe. Quero todas as moedas porque elas representam a miséria. (…) Se for dizimista, conseguirá trabalho. O dízimo não é uma doação é uma devolução. Honra a Deus com teus bens. (ACDIGITAL)

Obviamente, este quesito também é exigido por outras igrejas pentecostais e neopentecostais, mas, estou citando isto aqui, por estar tratando, neste momento, especificamente desta igreja em especial.

Estes e outros programas da IURD são desenvolvidos em todos os seus templos. O que há de semelhante entre estes e os ensinamentos de outras igrejas? Bem, queremos fazer um comparativo breve de algumas de suas doutrinas com os Pilares da Reforma ou os cinco “solas” da Reforma (FREITAS, 2012). Com base nestes pilares Sola Scriptura (só a Escritura); Sola Fide (só a fé), Sola Gratia (só a graça), Solus Christus (somente Cristo) e Soli Deo Gloria (glórias só a Deus) as práticas da IURD não se sustentam nem são aprovadas. Como aceitar como protestantes ou evangélicas, as interpretações dadas pelos líderes da IURD, em relação às doutrinas acima expostas? Vejam também estas: “os setenta valentes de Davi” [6], uma interpretação do Antigo Testamento, para uma reunião de empresários; “a Nação dos 318” [7], uma alusão aos soldados de Abraão, em Gênesis 14.14, mas que os líderes da Universal usam num contexto muito diferente de uma situação de guerra, por exemplo, além de muitas outras.

Para melhor caracterizar a Igreja Universal de Reino de Deus, portanto, sob uma ótica teológica, quero ficar com a afirmação de Robson Cavalcanti: A Igreja Universal não é protestante nem evangélica. Ela é uma “seita para protestante”, ao lado das Testemunhas de Jeová, dos Mórmons e Ciência Cristã, por exemplo. A Igreja Universal

“… não é uma Igreja protestante ou evangélica, por não ter nenhuma relação teológica, confessional ou ética com qualquer das expressões da Reforma, mas se constitui em uma seita para-protestante (…) Não é uma igreja pentecostal, e não deve ser chamada de neo-pentecostal, porque além dos pentecostais serem protestantes, não há qualquer semelhança entre os dois grupos, antes posições até antagônicas.” (CAVALNTI, 2008).

A IURD não é protestante, evangélica, pentecostal ou mesmo neopentecostal, nem seu líder, Edir Macedo, pode ser entendido como um bispo que atenda com características de igrejas com estas. Chamá-lo de bispo “protestante” é “… fazer tremer o Muro da Reforma, em Genebra, e os ossos de Lutero e Calvino em seus túmulos” (Idem). Ou seja, podemos afirmar que as “encruzilhadas”, do protestantismo brasileiro, descritas por Antonio Gouvêa Mendonça (O.C.) se acentuam ainda mais com a Igreja Universal do Reino de Deus.

Considerações finais

Como sabemos, os conceitos de protestante, evangélico e pentecostal são bastantes confuso no Brasil, principalmente para os que estão fora destes grupos. A confusão aumenta ainda mais quando surge o neopentecostalismo a partir dos anos 60. E, se juntar a estes grupos, como alguns o fazem, a Igreja Universal do Reino de Deus, acontece o que presenciamos, uma verdadeira generalização, como como se todos fossem iguais, ou no dito popular, todos “farinha do mesmo saco”.

Desde o final dos anos 70, o crescimento da IURD, representada pela pessoa de seu líder Edir Macedo se deu, sem muita preocupação com a verdadeira interpretação dos textos bíblicos e sem compromisso com a ética e os pilares da Reforma.

Nos templos da IURD está escrito a frase “Jesus Cristo é o Senhor”, mostrando uma aparência de igreja cristã. Mas, suas práticas chegam próximos ao que costumam chamar de “igreja macumbeira”, “balcão de negócios”, igreja, cujos líderes conversam com os demônios, fazem uso de sal abençoado, rosa milagrosa, levam as pessoas a comerem pão para serem curados de doenças físicas e assim, por diante. Ou seja, em todos estas práticas foram incorporados crenças e rituais de outras religiões, mesmo das consideradas adversárias, como Catolicismo, Umbanda, Kardecismo e Candomblé, além de usar uma grande quantidade de símbolos judaicos, desprovidos de qualquer relação com a realidade dos mesmos. Tudo isso fazem parte da construção de seu repertório simbólico.

Conhecer um pouco sobre esta igreja e a “devastação” provocada no meio cristão em geral foi-nos e será de grande importância para ficarmos atentos e buscarmos respostas aos desafios propostos por situações que ela, com suas práticas, nos impõe.

Notas:

  • [1] O embrião do Neopentecostalismo, na visão de sociólogos, como Walter Barbier Jr. (O.C.), surge na década de 60, com McAlister, fundador da Igreja Nova Vida. Mas é com a Igreja Universal que este movimenta ganha força a partir, principalmente, dos anos 80.
  • [2] A Terceira Onda (The Third Wave) é um livro de Alvin Toffer, escrito em 1980, onde o autor, conhecido por suas publicações pós-futuristas, faz um ensaio sobre o que deverá ser a sociedade pós-moderna, do século XXI. Barbier (p. 24) associa a Teologia da Prosperidade pregada por Edir Macedo como parte desta “terceira onda” na ordem econômica mundial.
  • [3] Segundo o IBGE (O.C.), o número total de evangélicos no país, em 2010, era de 26.184.941. Deste total, o número de pentecostais era de 17.617.307, equivalente a 67% do total. A Igreja Universal é destacada pelo IBGE como de origem pentecostal, e com menos de 1% do total dos evangélicos.
  • [4] Veja, por exemplo, o texto Dono da Rede Record e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, o líder evangélico ultrapassou a fronteira brasileira e hoje é conhecido nos cinco continentes. Disponível em: <http://ultimosegundo.ig.com.br/os-60-mais-poderosos/edir-macedo/5244b760e832edbf3c000006.htm>. Acesso em 23/09/2014.
  • [5] Informações extraídas de o Globo. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/brasil/em-abertura-do-templo-de-salomao-fieis-podem-pagar-no-credito-ou-no-debito-13705555>. Acesso em 23/09/2014.
  • [6] Veja, por exemplo, o vídeo “Congresso Empresarial com o Corredor dos 70 Valentes – IURD Arujá”. Disponível em: < http://www.youtube.com/watch?v=3nhyz7ITVJQ>. Acesso em 24/09/2014.
  • [7] Vídeo “Clamor da Nação dos 318 Bispos de Guaracy – IURD TV. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=vFb43PKEsTM. Acesso em 24/04/2014.

Referências Bibliográficas

  • ACIDIGITAL. Igreja Universal do Reino de Deus. Lima-Peru. (?). Disponível em: <http://www.acidigital.com/seitas/reinodeus.htm>. Acesso em 26/09/2014.
  • ARCA UNIVERSAL. Site Oficial da IURD. Disponível em: <http://www.universal.org/>. Acesso em 26/09/2014.
  • BABIERI Jr., Walter. A Troca Racional com Deus. PUC-SP, 2007. Disponível em: <http://www.sapientia.pucsp.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=4485>. Acesso em 26/09/2014.
  • CAVALCANTI. Robinson. Pseudo-pentecostais: nem evangélicos, nem protestantes. Ultimato. Viçosa-MG, 2008. Disponível em: <http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/314/pseudo-pentecostais-nem-evangelicos-nem-protestantes>. Acesso em 26/09/2014.
  • FREITAS. Romildo Lima de. Os “Solas” da Reforma Protestante. IPB, Guaçuí-ES. Disponível em: <http://ipbguacui.org.br/2012/10/14/os-solas-da-reforma-protestante/>. Acesso em 26/09/2014.
  • IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2000/primeiros_resultados_amostra/brasil/pdf/tabela_1_1_2.pdf>. Acesso em 26/09/2014.
  • MARIANO, Ricardo. Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. USP, 2004. Disponível em <http://sociologia.fflch.usp.br/sites/sociologia.fflch.usp.br/files/ Expansao%20pentecostal%20no%20Brasil%20o%20caso%20da%20IURD.pdf>. Acesso em 26/09/2014.
  • MENDONÇA, Antonio Gouvêa. O protestantismo no Brasil e suas encruzilhadas. Revista USP, nº 67. 2005. Disponível em: http://www.usp.br/revistausp/67/05-mendonca.pdf. Acesso em 26/09/2014.
  • TORRES, João Victor e ROSSETTI, Êmili Adami. ROSSETTI. O Reino Simbólico de Edir Macedo. UFRN. Natal-RN. 2013. Disponível em: <http://portalintercom.org.br/anais/nordeste2013/resumos/R37-0902-1.pdf>. Acesso em 26/09/2014.
Esta entrada foi publicada em Teologia e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a A Igreja Universal do Reino de Deus e seus sincretismos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.