Oriente Próximo e Primeiras cidades

Os problemas urbanos são desafios somente para os dias atuais? Qual a relação entre os homens com a natureza nas cidades, ontem e hoje? Como se deu a passagem do nomadismo para o sedentarismo, e a importância deste último estágio na formação das cidades? Qual o conceito de Civilização e de Estado? Onde e como surgiram as primeiras cidades?

Vamos tentar responder, sucintamente, estas questões neste artigo…

1. A sedentarização e a formação das cidades

Alguns historiadores dividem a Pré-história em apenas dois períodos: Paleolítico e Neolítico. Para estes, a formação das primeiras civilizações e, consequentemente, das primeiras cidades, marcam o final do Neolítico. Outros, no entanto, a dividem em três períodos: Paleolítico, Neolítico e Idade dos Metais. De qualquer forma, ao que parece, a maioria são de consenso de que a passagem do nomadismo para o sedentarismo ocorreu durante o Neolítico e, na sua fase final, entre 5000 a.C. e 4000 a.C., ocorreu o processo de fixação do homem no campo que motivou o desenvolvimento da agricultura e a consequente formação de aldeias, vilas e cidades.

As aldeias são pequenos aglomerados de casas, concentradas, normalmente, em espaço rural. Muitas destas aldeias se transformam em vilas – povoações de dimensões maiores que as aldeias – e, destas, surgem as primeiras cidades.

Nas cidades, enquanto alguns cidadãos cultivavam a terra, outros especializavam-se nos ofícios, utilizando técnicas de metalurgia (cobre, bronze e ferro), neste momento, já bastante desenvolvidas. Outros, ainda, detinham o poder governamental, cujos acontecimentos eram registrados por escrito. A escrita surge por volta de 4000 a.C.

Como afirma o historiador Tales Pinto

“a constituição das cidades na Antiguidade tinha por objetivo ser centro de comércio e ou também como fortificações de guerra contra inimigos. (…) De maior complexidade de atividades, foi necessário criar Estados para a defesa militar e a construção de grandes obras (de irrigação, templos, canais etc.), em um processo de formação das civilizações – termo relacionado aos povos que vivem em cidades.” [1]

Os fatores que determinam a existência de cidades são, entre outros, o desenvolvimento da agricultura, a venda dos excedentes agrícolas, a presença do Estado, incluindo um sistema de segurança, um poder político organizado, além de um sistema de escrita bem elaborado.

Queremos destacar dois exemplos de cidades antigas, Çatal Hüyük e Jericó:

=> Çatal Hüyük:

Uma das mais antigas cidades do mundo – Çatal Hüyük [2],

Descoberta em escavações feitas no centro-sul da Turquia, Çatal Hüyük:

  • suas casas eram de tijolos e construídas uma ao lado da outra, sem espaço para as ruas;
  • o acesso às casas era feito por aberturas nos telhados, e os habitantes andavam pela cidade caminhando sobre as casas;
  • os compartimentos das casas deviam ser escuros, recebendo luz apenas através das janelas colocadas na parte superior das paredes;
  • pequenas escadas levavam a aberturas no telhado, que serviam de acesso às casas;
  • a parte externa da cidade era um muro contínuo, sem nenhuma abertura, o que facilitava a defesa, pois seria difícil a qualquer invasor tomar a cidade. Para tanto, teria de retirar os habitantes de cada casa separadamente, enfrentando uma chuva de pedras e de flechas da casa ao lado. [3]

=> Jericó:

Esta cidade, mencionada na Bíblia como “Cidade das Palmeiras”, estava localizada a uns 27 quilômetros de Jerusalém, na Palestina e foi construída cerca de 9000 a.C. Era bem fortificada e dominava o vale do Jordão (na Palestina) e as passagens para as montanhas do oeste. Ela foi conquistada pelos hebreus na época de Josué. O Novo Testamento cita-a várias vezes e hoje, Jericó serve como atração turística a quem visita a Terra Santa.

2.  Civilização: a vida nas cidades

A palavra civilização está intimamente ligada ao conceito de “cidade”. Apesar de sua origem etnocêntrica europeia, a civilização “…numa perspectiva evolucionista é o estágio mais avançado de determinada sociedade humana, caracterizada basicamente pela sua fixação ao solo mediante construção de cidades, daí derivar do latim civita que designa cidade e civile (civil) o seu habitante.” [4]

 Veja o que diz Jaime Pinsky sobre este conceito:

Uma civilização, via de regra, implica uma organização política formal com regras estabelecidas para governantes (mesmo que autoritário se injustos e governados; implica projetos amplos que demandem trabalho conjunto e administração centralizada (como canais de irrigação, grandes templos, pirâmides, portos, etc.); implica a criação de um corpo de sustentação do poder (como a burocracia de funcionários públicos ligados ao poder central, militares, etc.); implica a incorporação das crenças por uma religião vinculada ao poder central, direta ou indiretamente (os sacerdotes egípcios, o templo de Jerusalém, etc.); implica uma produção artística que tenha sobrevivido ao tempo e ainda nos encante (o passado não existe em si, senão pelo fato de nós o reconstruirmos; implica a criação ou incorporação de um sistema de escrita (os incas não preenchem esse quesito, e nem por isso deixam de ser civilizados); implica, finalmente, mas não por último, a criação de cidades. De fato, sem cidades não há civilização. [5]

Pontuando, então, os fatores propostos por Jaime Pinsky para o conceito de civilização, temos: organização politica formal; projetos amplos de trabalho conjunto; burocracia estatal; religião vinculada ao poder central; produção artística; sistema de escrita; existência de cidades;

3.  Oriente Próximo / Crescente Fértil

As primeiras cidades foram construídas na região do Crescente Fértil. Çatal Hüyük (na Turquia) e Jericó (na Palestina), por exemplo, são cidades antigas que estão nesta região, também chamada de Oriente Próximo. O termo Crescente Fértil foi criado pelo arqueólogo James Henry Breasted, em 1906, por perceber o formato de uma lua crescente desta região e também por causa da presença de grandes rios que deixam o solo fértil.

Crescente Fértil [6]

A presença de rios era uma condição vantajosa à ocupação humana. Alguns rios como Tigre, Eufrates, Nilo e Jordão estão nesta região, e permitiam assim o pleno acesso à água potável, que também serve para a irrigação das lavouras locais, bem como para criação de gado.

O Crescente abrange as áreas da Mesopotâmia e do Levante (os territórios ou partes dos territórios da Palestina, Israel, Jordânia, Líbano, Síria e Chipre), delimitado ao sul pelo deserto da Síria e ao norte o Planalto da Anatólia.

Nas lições seguintes, veremos como a necessidade de controlar a água das enchentes, como é o caso dos rios Nilo, Tigre e Eufrates, por exemplo, levou à construção de grandes obras hidráulicas. As “condições favoráveis à agricultura requeriam uma necessidade constante de controle da água, situando-se aí um dos principais fatores do início das urbanizações. ”[7] 

Água: fonte de vida em perigo

Os rios desempenham papel fundamental no surgimento das primeiras civilizações. Além de serem utilizados para o transporte de pessoas e mercadorias, eles asseguravam a sobrevivência da população ao garantir o abastecimento de peixes e água potável. Na região da Mesopotâmia e do Nilo, no Egito, quando os rios transbordavam, as águas fertilizavam suas margens, proporcionando assim um solo ideal para a prática da agricultura.

As enchentes, porém, ao mesmo tempo em que deixavam o solo bom para o plantio, podiam provocar prejuízos, alagando casas e destruindo plantações. Diante desses problemas, a população teve de se organizar e construir coletivamente diques e canais para conter as inundações e irrigar as terras cultiváveis. Os sumérios, por exemplo, conseguiram transformar diversas regiões do deserto em áreas férteis desviando a água de alguns rios da Mesopotâmia, entre eles o Eufrates.

Passados muitos séculos, a água continua sendo essencial para a vida na Terra. Mas a água potável é um recurso natural finito. De toda a água existente no mundo, somente 2,5% são constituídos por água doce (os outros 97,5% são de água salgada, imprópria para o consumo). Desse percentual, apenas 0,3% correspondem a rios e lagos. O restante da água doce se encontra em lençóis freáticos, geleiras ou coberturas de neve permanente. Assim, de toda a água que existe no mundo, apenas uma pequena fração está disponível para o consumo humano. [8]

Resumindo:

– o processo de sedentarização teve início do Neolítico;

– o surgimento das cidades foi uma consequência do processo de sedentarização;

– o conceito de cidade está intimamente ligado ao conceito de civilização;

– desenvolvimento urbano, existência de grandes rios, presença do Estado e surgimento da escrita são os principais fatores que marcam uma civilização;

– as primeiras cidades surgiram na região do Crescente Fértil, ou Oriente Próximo;

– o desenvolvimento de diversas obras hidráulicas pelos povos desta região favoreceu o bom uso da água para uso doméstico, do rebanho e da agricultura…

 

–  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –  –

Notas:

  • [1]  PINTO, Tales. Evolução das cidades. Disponível em: <http://www.brasilescola.com/historia/evolucao-das-cidades.htm>. Acesso de 20/03/2013.
  • [2]  Foto de Çatal Hüyük. Disponível em: <http://liceu1e.blogspot.com.br/2012/02/aldeias-e-primeiras-cidades-catal-huyuk.html>. Acesso em 19/03/2013.
  • [3]  PILETTI, Nelson & Claudino. História: EJA (Educação de Jovens e Adultos) – 3º Ciclo. São Paulo: Ática, 2003, p. 33 (Texto adaptado).
  • [4]  Civilização. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Civiliza%C3%A7%C3%A3o>. Acesso em 20/03/2013.
  • [5]  PINKY, Jaime. As primeiras civilizações. São Paulo: Atual, 1994, p. 46.
  • [6]  Crescente Fértil. Disponível em <adaptados de: <http://www.infoescola.com/geografia/crescente-fertil>. Acesso em 21/03/2013.
  • [7]  Caderno do professor – História. Ensino Médio – 1ª série, Vol. 1. SEE-SP, 2009, p. 31.
  • [8]  AZEVEDO, Gislaine Campos & SERIACOPO, Reinaldo. História em movimento – Vol. 1. São Paulo: Ática: 2010, p. 38.

 

Esta entrada foi publicada em História e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Oriente Próximo e Primeiras cidades

  1. Desculpa-me, Alessandra, é que o objetivo deste POST é apenas apresentar um resumo histórico sobre as primeiras civilizações ou Oriente Próximo…

  2. Alessandra disse:

    Bom,achei bem legal,mas queria saber a qual recurso natural as cidades se formaram…pois acho que aqui nao tem mais td bem né…😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.