Mauá: Filme e Contexto Histórico

O filme  Mauá, o imperador e o rei trata-se de um grande empreendedor brasileiro, Irineu Evangelista de Sousa (1813 – 1889), Barão e depois Visconde de Mauá que muito cooperou para o desenvolvimento industrial do Brasil no Segundo Reinado. Mas não teve apoio do imperador Dom Pedro II, além de suas empresas sofrerem sabotagem e concorrência estrangeira.

1.  Filme [1] e Ficha técnica:

Mauá

Ficha   técnica / Resenha:

  • Título: Mauá, o imperador e o rei.
  • País/ano: Brasil, 1999.
  • Direção: Sérgio Resende.
  • Elenco: Paulo Betti, Malu Mader, Othon Bastos, Antonio Pitanga, Rodrigo Penna.
  • Duração: 134 min.

O filme mostra a infância, o enriquecimento e a falência de Irineu Evangelista de Sousa (1813–1889), o empreendedor gaúcho mais conhecido como barão de Mauá, considerado o primeiro grande empresário brasileiro, responsável por uma série de iniciativas modernizadoras para economia nacional, ao longo do século XlX…” [2]

 

2. Contexto histórico [3]:  Análise do filme

Por Por Antonia L. N. Rodrigues

Analisar um filme se constitui sempre um desafio instigante, sobretudo um filme de cunho histórico. Essa tarefa acrescenta àquele que a desempenha uma percepção maior da narrativa histórica e viabiliza consequentemente uma maior compreensão da mesma. Além do que, como pretensos professores de História que somos, agimos bem em fazê-lo, pois o contexto que nos serve de pano de fundo na atualidade impõe-nos tal necessidade. Vivemos na era das imagens. O filme ‘Mauá, o Imperador e o Rei‘ lançado no Brasil no ano de 1999, roteiro de Paulo Halm, Sérgio Rezende e Joaquim Vaz de Carvalho, dirigido por Sérgio Rezende e protagonizado pelo ator Paulo Betti (Irineu adulto) retrata a trajetória do destacado empresário Irineu Evangelista de Sousa, barão e posteriormente visconde de Mauá. As primeiras cenas se desenrolam no Rio Grande do Sul, numa pequena localidade onde nasceu Irineu. Ainda garoto ficou órfão de pai, o que lhe dificultou a permanência em casa, pois sua mãe, ao casar-se novamente foi obrigada, por imposição do novo marido a encaminhá-lo para o Rio de Janeiro, onde moraria com o seu tio. No Rio de Janeiro, começou a trabalhar no armazém do português Pereira de Almeida, onde se percebeu apto para os negócios e se empenhou em estudar, o que lhe possibilitou maior visão e tato comercial. Com o tempo tornou-se empregado de confiança do português e sistemático controlador de seus negócios. Graças a sua habilidade de negociação, ganha a simpatia do escocês Richard Carruthers, que se dispõe a educá-lo nos moldes do liberalismo econômico, prevalecente na Inglaterra. Alguns anos depois, o escocês, percebendo-se acometido de “Banzo”, (saudades da terra natal) doença comum dos escravos da época, resolve voltar para a Inglaterra e confia os seus bens aos cuidados de Irineu. Após uma visita à Inglaterra, Irineu decide mudar os rumos de seus negócios e resolve investir na Indústria, construindo uma Fundição e Estaleiro em Ponta da Areia, no Rio de Janeiro. Cria também a Companhia de transportes, Companhia de Navegação a Vapor do Amazonas, Companhia de Iluminação a gás do Rio de Janeiro, Estradas de Ferro; inaugura a primeira linha de bondes do Rio e cria novos Bancos do Brasil, com filiais na Inglaterra, Estados Unidos, França, Argentina e Uruguai. Apesar do seu espírito empreendedor, força de vontade e interesse pelo desenvolvimento do Brasil e sua modernização o Barão de Mauá faliu; não suportou a concorrência estrangeira e o boicote do imperador, que influenciado pelo visconde de Feitosa eximiu-se de ajudá-lo nos momentos que mais precisou. As suas ideias liberais contrárias ao tráfico negreiro e escravidão, à guerra do Paraguai e à mentalidade tacanha dos que compunham a Elite Imperial, também lhe renderam alguns desgostos. Considerando a grande importância e espaço que o cinema ocupa na vida dos brasileiros e a influência do mesmo como meio de comunicação de massa, pois atinge rapidamente um número enorme de pessoas de todas as classes sociais e de diferente formação cultural, o diretor Sérgio Rezende acertou em cheio ao desenvolver tal empreendimento. Mauá, o Imperador e o Rei é um filme inspirador e expressa bem a realidade vigente naquela época. Apresenta uma abordagem completa da saga de Irineu Evangelista, especificando dados pessoais desde a sua difícil infância, adolescência e juventude, ingresso na Maçonaria e culminando com a sua escalada empresarial e falência. A escolha do tema histórico é de extrema importância para nós, pois o barão de Mauá é personagem de destaque que contribuiu consideravelmente para o desenvolvimento econômico do nosso país. Mauá é um excelente exemplo do que um homem que sonha pode fazer, quando está determinado a enfrentar as intempéries e vicissitudes da vida; quando, a despeito do cenário que lhe cerca, mesmo diante de parcas oportunidades, consegue alcançar seus objetivos. Embora tão pouco estimulado pelo seu País ousou tentar fazer a diferença e obstinadamente contribuiu pra que ele desse um passo a mais, e que passo, rumo ao progresso e à modernização. Conhecer a sua história de persistência e determinação em vencer na vida é extremamente necessário no nosso contexto atual, quando um número tão grande de jovens em nosso país é caracterizado pela desesperança e falta de perspectiva. Os seus ideais de justiça e respeito à criatura humana (expressos de maneira tão interessante na cena em que concede ao escravo um par de sapatos que simbolizava a sua liberdade e possibilidade de inclusão social) devem também se constituir em elemento estimulante no combate à postura violenta e discriminatória tão verificada comumente na história de vida de tantos dos nossos compatriotas.

Por essas e outras razões, o filme Mauá, o imperador e o rei pode servir de ferramenta educativa e fomentar nos que a ele tiverem acesso a oportunidade de reflexão e crítica que podem ser o caminho para a transformação de si mesmos e do mundo que os cerca, agindo sobre ele, atingindo assim a grande meta da educação que é regida pela certeza de que “o homem é por excelência um ser educável porque ele pode ser aperfeiçoado”, o que lhe assegura a possibilidade de uma vida melhor e mais feliz.

————————

Notas:

  • [1] FILME Mauá, o imperador e o rei. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=tsNFt6okIxs>. Acesso em 25/10/2015.
  • [2] MAUÁ, o imperador e o rei. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Mau%C3%A1_-_O_Imperador_e_o_Rei>. Acesso em 25/10/2015.
  • [3]  RODRIGUES, Antonia. L.N. Análise do filme Mauá, o imperador e o rei (texto adaptado). Disponível em: <http://www.webartigos.com/artigos/analise-do-filme-maua-o-imperador-e-o-rei/22807/#ixzz2jRE7E6c7>. Acesso em 25/10/2015.
Esta entrada foi publicada em História e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Mauá: Filme e Contexto Histórico

  1. Obrigado, pela sua opinião!

  2. Alan Ronaldo disse:

    Nao gostei do filmee !!!!! Filme chatooooooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.